quarta-feira, janeiro 28

Instantaneamente a divagar pelo cérebro...


Como habitualmente, gosto de escrever sobre as coisas que instantaneamente invadem e cruzam o meu cérebro. Talvez esses pensamentos instantâneos sejas os mais verdadeiros e transmitam a verdadeira essência do ser humano. Não diria que sou uma pessoa desiquilibrada, mas diria que tenho pensamentos desiquilibrados e bastante ortodóxos.

Hoje passei o dia, no meu de tanto stress de trabalho, a divagar pelos pensamentos genuínos. Hoje estava com a nítida sensação que me apetecia voar, voar por entre as brumas e as tormentas que nos assolam nestes dias cinzentos.
Hoje queria fazer aquilo que normalmente não quero, queria olhar para aquilo que normalmente não olho, queria sentir tudo aquilo que raramente sinto...tendo a noção que se torna difícil entender esta dualidade de sentimentos, mas a verdade é que hoje eu queria estar onde não posso estar, queria estar com quem não posso e acima de tudo, queria ser Eu em pleno.

Eu próprio não consigo controlar estes sentimentos burocráticos que me assolam ao longo de um dia. No fundo penso que não queria controlá-los, quero olhar para as coisas e para as pessoas de uma forma mais directa e objectiva.

Acredito que passamos 1/3 da nossa vida a tentarmo-nos justificar perante nós próprios pelos nossos erros e pelos nossos sentimentos, deixando que as coisas se tornem pouco naturais. As coisas genuínas e transparente são aquelas que mais nos encantam. Disso não tenho qualquer tipo de dúvida.

Hoje queria deixar de lado a visão opaca da vida e olhar para as coisas e as pessoas de um modo mais transparente...



Nada Surf - Always Love

2 comentários:

Ccn disse...

Porque é que não tentaste mesmo voar?! "Voar" até esse local onde querias, encontrar esse alguém, e seres tu próprio...Pq não fazes isso? Por mais motivos que tentes procurar como desculpa de não o fazer....tens um bastante plausível.
Dito por ti: "Ser Feliz!".
Quanto ao seres desiquilibrado, quem não é? E ainda bem que assim é!!

Anónimo disse...

E conseguiste Renato?