quarta-feira, abril 2

Há dias assim...

Há dias em que parece que tudo o que fazemos parece correr mal. Dias cinzentos. Aqueles dias que se pudessemos não saíamos da cama. Ficavamos a ouvir a chuva lá fora e a vegetar. Deve haver alguns dias destes no ano. A estas coisas que não correm bem, uns chamam-lhe destino, outros meramente azar. Há ainda aqueles que se guiam pelo horóscopo, e que já prevêm que algo mau vai acontecer. Só mesmo esses estão preparados para o pior.

Mas a verdade, é que nestes dias nada se conjuga e não conseguimos resolver este cubo mágico que é a vida. Damos voltas e mais voltas, e as cores estão sempre trocadas. O escuro predomina, e as cores não se separam. Nada sai bem.

Insistimos em ouvir as músicas mais depressivas que encontramos, ao invés de procurar músicas alegres que nos animem e nos tentem mudar o estado de espírito. No fundo acabamos por gostar, digo eu. O ser humano adora queixar-se, e quem assim não for, que atire a primeira pedra. Quem não gosta de uma "depressãozinha saudável"? Aquelas depressões que duram apenas um dia. Acordamos no dia a seguir e de repente parece que tudo está sarado. Simplesmente tudo já se conjuga e faz sentido. Estas depressões localizadas ao longo do ano, acabam por nos fazer bem. Isto porque nos fazem reflectir e pensar realmente nas coisas. São estes dias que, por vezes, nos fazem mudar o rumo da nossa vida e nos conduzem aos nossos objectivos.

Acredito plenamente que estes dias funcionem como uma terapia para cada s
er humano. Conseguimos deste modo chegar aquilo que temos mais escondido, o nosso íntimo. Aquilo que por vezes esquecemos que existe, o nosso subconsciente. Está sempre à espreita, tal qual a morte. Estes paradigmas têm explicação científica, mas parecem-me uma luta entre o nosso consciente e subconsciente. Qual será mais forte? Qual terá maior importância na nossa vida? Não será que o menos activo, tem mais força? São perguntas que podem ter diversas respostas, variando de pessoa para pessoa.

Adoro tentar compreender a mente humana. Compreender porquê mudamos de humor repentinamente sem motivos para tal. Compreender porquê nestes dias não conseguimos realizar as coisas da mesma forma que nos outros. O ser humano é uma caixinha de surpresas e nossa mente é de facto muito complexa. Acho que nunca ninguém a conseguirá compreender na totalidade.

A nós, resta-nos ouvir as músicas depressivas que tanto gostamos, reflectir, e esperar por amanhã. Porque amanhã é um novo dia e a chave da vitória está nas nossas mãos.

"Há dias assim..."



3 comentários:

Anónimo disse...

TENS TD A RAZÃO !!
POR acaso até estou em sintonia ctg.

já agora:mais uma vez- tu realmente Td o k fazes, fazes bem(ATÉ a escrever -és EXCELENTE)

PARABÉNS.
beijinho fashion, lol

purpurinaz disse...

Há dias assim, mesmo... e ate para isso existem kits musicais de emergência :) Cada um de nós tem o seu, gosto de acreditar nisso.
La está... a musica sempre presente!

Anónimo disse...

Há momentos k se podem perder assim.
A viver demasiado tempo a olhar para o cubo, mas na verdade, sem o querer resolver.
Depressão, diarreia mental, nostalgia, o que quiseres chamar, sim, um só dia como dizias...a seguir é cabeça para cima, e enfrentar, saber o que se quer, ir em direcção a isso...
Chama-lhe Determinação se quiseres!
;)
Beijoca