segunda-feira, abril 28

Os extremos...


A maioria do ser humano é de extremos. Talvez sejamos levados por esse caminho, mas que nem sempre se torna positivo. Somos os eternos insatisfeitos, e andamos sempre em busca do que não temos e de quem não temos. Por vezes, nem o "Tudo" nos contenta. Tornamo-nos fiéis mercenários desta luta interna entre o "Tudo" e o "Nada".
Somos vítimas das nossas próprias expectativas em relação à vida, que são na maioria dos casos, bastante elevadas.
Ambicionamos tudo aquilo que sonhamos, e muitas das vezes, as nossas expectativas são defraudadas. Bem sei que sonhar é fantástico e "comanda a vida", como diria alguém, mas cria-nos dependências cerebrais como se de um vício se tratasse. Faz-nos caminhar a passos largos para o abismo.
Todos nós reclamamos um mundo perfeito, uma vida perfeita, uma relação perfeita, o que for, mas talvez por isso estejamos tantas vezes insatisfeitos ao longo desta vida.

Passamos a vida nesta busca insaciável de algo que não temos. Algo que queremos agora. Está inevitavelmente ligada à nossa relação menos boa com a espera. Saber esperar é uma virtude, é bem verdade, mas quantos de nós seremos capazes de o fazer? Eu próprio gostava de ser assim, mas não sei ser de outra maneira. A espera seja pelo que for, a mim mata-me lentamente, como já escrevi algures. Quero sempre as coisas para agora, ficando sempre com a ligeira impressão de que "ontem era tarde".
Temos que saber lidar com este síndrome, aprendendo a contorná-lo e melhorarando a cada dia que passa. O "agora" é de facto muito efémero e temos que saber esperar por um "amanhã" que ainda não nos pertence, mas que temos lutar por ele.

Vivemos na esperança de conhecermos os outros, quando na realidade não nos conhecemos a nós próprios. Os anos passam, mas as dúvidas existenciais ensistem em permanecer. Cada dia é uma surpresa. Torna-se portanto um pouco assustador quando pensamos que se não nos conhecemos a nós próprios, como iremos algum dia conhecer alguém na totalidade da sua essência? Parece-me uma tarefa árdua e pretensiosa até, se julgamos que algum dia o conseguimos. Não nos adianta portanto, fazer grandes futurologias, apesar de isso nos fascinar de algum modo.

A vida torna-se menos cinzenta quando tomamos consciência que estamos em constante aprendizagem, principalmente de nós próprios, do nosso "Eu". Não podemos querer sempre o "Tudo" ou o "Nada", temos que nos contentar com o intermédio. Essa situação radical de extremos, pode levar-nos a grandes dificuldades e tropeços no nosso caminho. Normalmente quando queremos tudo, acabamos por ficar sem nada, diz-nos a nossa experiência.

Só nos resta tentar elevar o "Tudo" a partir do "Nada"...

9 comentários:

CCN disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
CCN disse...

"Saber esperar é uma virtude, bem sei, mas quantos de nós seremos capazes de o fazer? Eu próprio gostava de ser assim, mas não sei ser de outra maneira."
O que é que tanto queres que seja dificil aguentar a espera?

Eu espero por tudo o que gostava de ter, de alcançar...mas não eternamente. Esperei 4 anos para voltar a estudar,pq as opções que tomei, nem sempre foram as mais certas, mas pricipalmente por fraqueza minha. Vou esperando por alguém desde que o vi pela 1ª vez, já lá vai um ano...Espero sempre ouvir a minha música do momento sempre que vou sair, mas nunca ouço..Espero encontrar alguém especial ao dobrar de cada esquina, e não encontro.. Mas acima de quase tudo, tenho um sonho...Por esse, e talvez, apenas esse, seja digno de "esperar" anos a fio..Sentar-me numa cadeira de baloiço, com netos á minha volta,a sorrir..O caminho a percorrer até lá, seja ele qual for, importa, mas não faço planos dele...desde que o fim seja este. Coisas simples..
Qt ao querermos tudo ao msm tempo, é normal...somos humanos sempre insatisfeitos. Não sou melhor que ninguém, mto pelo contrário pq tenho mtos e mtos defeitos,mas uma virtude minha, é não querer td. Quero o básico. Tenho vindo a descobrir que não é o material que me faz feliz. É a paixão por ti, pela vida que tenho e pelo que ainda vou ter que me faz sorrir tds os dias, msm qd tou mal disposta.
"Deixa-te cair no abismo", pq assim sabes que estás vivo..ñ reclames por querer td na hora,por quereres sempre mais. Afinal, estamos no mundo para que? Pra ver o tempo passar, ou para sermos nós a fazer do tempo o que queremos?

Deseja o simples,e pode ser que não te sintas tão insatisfeito..

Ouve lá esta..sem pensar em nada..Ouve só.
In your eyes I can see that you fell In love
(what If It would just)
and It pains my head
In your eyes I can see-come Into me
(what If It would just come Into me)
C.brothers

scorpia disse...

Meu amigo:

Já pensei desta forma e revejo-me nas tuas palavras...sempre à espera do inesperado, da surpresa, da alegria...

Reparei que enquanto esperava, passaram ao lado pessoas, oportunidades, momentos que poderiam ter conduzido à tal alegria.

Hoje simplesmente vivo o presente e agradeçço tudo o que me acontece, seja positivo ou negativo, porque a vida não passa de uma aprendizagem. E temos que estar conscientes de que só seremos felizes se estivermos satisfeitos com o que tivermos. Sonhar sim, mas como tão bem dizes, dentro das possibilidades, para não criarmos falsas expectativas. A melhor expectativa é, para mim, não esperar nada de ninguém...desta forma, valorizaremos qualquer atitude. Devemos virar as nossas expectativas para os nossos comportamentos, para a anossa própria forma de encarar a vida...e tudo muda à volta, acredita...Por isso, não esperes por nada...faz-te à vida...as coisas boas virão até ti, aliás, como têm vindo, se reparares bem na nostalgia omnipresente...

Que saudades...por vezes não damos valores a pequenos pormenores que mais tarde se revelam as coisas mais belas e importantes...Por isso, abre o olho!

;)Bjiiinhos!!

one name and two surnames disse...

Patience is a virtue I seem not to possess.

Lucky me :)

one name and two surnames disse...

Ps. Waltz For Koop - Koop :)

Anónimo disse...

"Somos vítimas das nossas próprias expectativas em relação à vida, que são na maioria dos casos, bastante elevadas".

Expectativas, todos nós criamos expectativas...Tens sempre expectativas acerca por ex. de um novo emprego, umas férias, uma nova pessoa, mas quando se pensa demasiado que as coisas vão acontecer de determinada maneira, é certo e sabido que simplesmente não acontecem! Portanto, se não se idealizar tanto, pode ser que ainda corram melhor.
Todos nós temos que sonhar mas, sonhar sem tentar ter expectativas demasiado altas, porque se não, nunca conseguiremos ser inteiramente felizes, vamos ser uns eternos desconsolados…Todos nós temos que fazer planos, ter objectivos de vida, mas cuidado, também temos que nos esforçar por os alcançar. Não é só idealizar e esperar que as coisas venham ter connosco. É muito fácil vivermos no “eu queria, eu gostava”, mas não irmos ao encontro… Tudo na vida exige/merece 1 luta saudável.

Nas amizades, penso que não se criam tantas expectativas como no campo pessoal; simplesmente acontece, as pessoas vão-se aproximando de fininho e quando dás por ela, a amizade já tem alicerces...O bom de não pensares demasiado é que não te desiludes tanto.Ok, é certo de vez em quando lá te desiludes, porque há pesoas que simplesmente não têm princípios.. Mas, não se pode esperar que determinado amigo, companheiro ou desconhecido, tenha as mesmas reacções que nós, que quando tu até querias que ele agisse de determinada maneira ele assim o faz, que tenha os mesmo gostos que nós, que fale daquilo que nós queremos ouvir...AS PESSOAS SÃO DIFERENTES E ISSO TEMOS MESMO QUE RESPEITAR...O importante é que em cada pessoa que faz parte do teu mundo, saberes o que podes esperar dela. E não estares a exigir algo que ela não te possa dar. Também não nos devemos contentar com muito pouco, mas andar no meio-termo. Há amigos com quem te sentes à vontade para falar dos teus problemas, outros amigos com quem podes contar para dar umas boas risadas, outros que vão ficando apenas pelos anos que os conheces e fazem-te sempre lembrar coisas que passaste, outros que simplesmente gostas de estar porque… simplesmente gostas de estar... Há sempre alguém na tua vida que tu conheces a sua essência ou alguém que conhece a tua. Alguém que conheces e que te deixas dar a conhecer...

No campo pessoal, uma coisa que me vou apercebendo à medida que os anos passam e que acho que é um erro, é que realmente, já não se deixam as coisas fluirem naturalmente "go with the flow"; quando eramos mais novos, sim Mais novos - porque ainda estamos na flor da idade;) ninguém olhava para outro a pensar é mesmo com esta pessoa que eu vou ficar, que vai ser x que até se complementa com o meu y. Nem, este vai ser meu amigo, porque até se veste bem, até diz umas piadas fixes...Simplesmente as coisas aconteciam naturalmente. E é assim que as coisas devem ser e que funcionam! A maior parte dos casais que eu conheço, são pessoas que não têm muito a ver um com o outro, mas que aos poucos se vão conhecendo; existe uma química claro, se não, não funcionaria, mas que com o tempo se vão complementando, também com um pouco de esforço de ambas as partes, se não, nenhum relacionamento dura. MAS claro sem perderem a IDENTIDADE PRÓPRIA!!! As pessoas nos relacionamentos, ao mínimo devaneio, deixam de se esforçar porque pensam que não vale a pena, principalmente porque, ora aí está, eu estava a espera que ela/ele fosse/reagisse assim e não o é. Mas aí, é uma questão de se tentar perceber se mesmo assim não valerá a pena, se essa pessoa ao ser diferente não funciona até como uma "lufada de ar fresco" na nossa vida...Claro, quando o essencial se perde, não vale a pena "andar a bater no ceguinho", só porque se acha que já estamos muito velhos para um recomeçar de novo, porque verdade seja dita, a todos nós, às vezes o desconhecido assusta...

Vou parar por aqui, que isto já parece um novo capítulo da Bíblia…Muita coisa podia ser dita sobre a mente humana e as relações...Dava muito pano para mangas...

Resumindo:
Sonhar é sem dúvida viver, mas não se pode ambicionar demais, porque aí já estás a exigir demasiado de ti e dos outros. É bom sermos exigentes, é certo, e eu acredito mesmo que sim, mas meio-termo é a palavra-chave...A perfeição não existe, isso é uma pura verdade, cabe-nos a nós conseguirmos viver felizes com as pequenas coisas da vida;)
Simple things.

***
Abusada

Jayi disse...

Grande amigo:

"Tudo ou nada"
Quando pensamos que temos aquilo que achamos que para nós é aquele todo que nos preenche e achamos que estamos no bom caminho para termos "tudo" aquilo que nós achamos ser o ideal para a nossa felicidade...desenganem-se!!!
Vivam o presente, sejam felizes à vossa maneira, não criem grandes expectativas seja para o que for, porque quando não temos "nada", e isso é impossivel, porque temos sempre muita coisa, a nossa familia, o nosso orgulho, o nosso amor próprio e acima de tudo um grande amigo como tu...Não se preocupem que assim tudo que vier por acréscimo e podem ter a certeza que virá, assim será considerado sempre muito.
Um grande abraço!!!

Mir disse...

Perfeição?!... Escolho antes a Mutação.

Mutações. Muitos dizem que são defeitos. Muitas são aleatórias ou induzidas, outras à primeira vista, são erros ou problemas sem decifração. Felizmente, existe o Génio, que por ser tão inconformado, encontra sempre uma Solução. Porque o Génio, ama os abismos, as torrentes, os desertos… tudo nele é fértil, pois é da loucura que nasce a liberdade se sentir, de viver…de ser. Assim, perante o abismo, o Génio, agiganta-se, cria asas e voa. Parece demagogia mas não é.

Quanto à busca do auto-conhecimento ou da verdadeira essência do próximo, é complicado é certo, é quase uma Utopia, uma Quimera. Mas jamais encontrarás uma resposta Justa, baseada única e exclusivamente na Razão e num sentido demasiadamente pragmático. És um Homem, de Corpo, Espírito, de Vontade. Dotado de 5 sentidos, razão, lógica, intuição e coração. Só usando o conjunto de todas estas faculdades e todas ao mesmo tempo, encontrarás a tua resposta. Mas, não caias no erro de a considerar Absoluta. O teu Todo é mutável e permeável. Assim também é o Homem. Assim és Tu. Assim é o teu semelhante.

Absoluto e perfeição são dois conceitos estáticos e amorfos. Tão absurdos como estar limitado ao possível de Hoje.

Mir disse...
Este comentário foi removido pelo autor.